11.02.2015


A Festa do Batismo de Jesus concluiu o Tempo de Natal e abriu as portas do Tempo Comum, o qual terá uma interrupção para o Tempo da Quaresma e o Tempo Pascal. É o ritmo litúrgico da Igreja, todo ele vocacional. Pelo Batismo tornamo-nos todos filhos e filhas muito amados de Deus e somos chamados a ser PROFETAS, anunciadores da Palavra de Deus, coerentes, justos...; REIS servidores; PASTORES, sacerdotes, guias. Devemos todos SERVIR e ANUNCIAR o Evangelho com alegria, combater injustiças, guiar, testemunhar, pastorear, a exemplo do Bom Pastor. Nós, Família do Rogate, além das imagens do Coração de Jesus e do Bom Pastor, cultivamos em nossas vidas o exemplo de Santo Aníbal Maria Di Francia. Aníbal procurou ser coerente com sua vocação sacerdotal, com seu Batismo, e conseguiu ampliar ainda mais esta “Teologia do Seguimento”, de ser Discípulo Missionário de Jesus. Com sua oração chegou ao Rogate, mandamento de Jesus expresso em Mateus e Lucas (cf. Mt 9,35-38; Lc 10,2) e até então desconhecido. Percebeu que era um remédio aos males e problemas de sua época (pobreza e exclusão). Jesus nos deixou este mandamento, esta indicação, após VER as necessidades e as doenças do povo, saindo, percorrendo “aldeias e povoados”. Hoje o papa Francisco insiste em falar no resgate da Cultura do Encontro: sair e ir ao encontro dos outros. Foi o que Jesus fez, foi o que Santo Aníbal fazia, é o que temos de fazer hoje. "Ir, sem medo, para servir", provocou-nos o papa Francisco na Jornada Mundial da Juventude de 2013 no Rio de Janeiro. Pois bem, após ir, ver e servir, Jesus sentiu COMPAIXÃO. Um sentimento não fácil, pois pressupõe AMOR. Quem não ama não é capaz de sentir compaixão. Jesus sentiu compaixão porque tinha um Coração que verdadeiramente amava. “Ensina-nos a amar”, temos que pedir cotidianamente ao Pai, Senhor da messe. Se Jesus VIU, sentiu COMPAIXÃO porque AMAVA, e nos deixou o mandamento do ROGATE; se Santo Aníbal VIU o seu contexto tão necessitado (simbolizado por Avinhão), sentiu COMPAIXÃO porque AMAVA, e nos mostrou o que o próprio Jesus tinha nos indicado (o Rogate); hoje somos nós os convidados a VER (se ainda não vimos o quanto há de desafios na messe), somos nós os convidados a sentir COMPAIXÃO (com o pressuposto de AMAR ou aprender a AMAR), somos nós os convidados a compreender o Rogate e zelar para que seja compreendido... Que possamos rezar pelas vocações com testemunho de vida profética, de servidor, de guia; que o Coração de Jesus, cheio de compaixão, juntamente com Jesus Bom Pastor, possam ser as imagens iluminadoras do nosso dia a dia. Os desafios são muitos, mas a grande força conseguiremos na oração ao Pai, Senhor da messe, pedindo que nos conceda a graça de renovar o nosso Batismo a cada novo dia. Rezemos, pois, uns pelos outros, por toda a Família do Rogate, por todos os necessitados, por toda a Igreja. Enviai, Senhor, operários e operárias à vossa messe!








voltar





03/06/2018
Manuais Vocacionais para Catequese de Eucaristia e Crisma
Com linguagem juvenil e apresentação visual agradável, o Instituto de Pastoral Vocacional (IPV) l...


30/12/2017
Animadores Vocacionais da Província reúnem-se
O Encontro dos Animadores Vocacionais da Província São Lucas será nos dias 19 e 20 de março de 2...


14/09/2017
Filme sobre Santo Aníbal tem objetivo vocacional
O filme, “Por amor aos pobres, a vocação de Santo Aníbal”, tem o objetivo de divulgar a vida ...



 1 [2][3][4][5][6][7][8][9][10][11] próxima »







Ordenação Diaconal dos religiosos: Luciano e Reinaldo
No dia 28 de julho de 2012, na Igreja matriz da Paróquia Nossa S...



Ordenação Sacerdotal do Religioso Rogacionista, Danilo Silva Bártholo
Pela imposição das mãos de Dom Edmilson Amador Caetano, O.Cist...



« anterior [1][2][3][4][5][6][7][8][9][10][11][12][13][14][15][16][17][18][19][20][21][22][23][24][25][26][27][28][29][30][31][32][33][34] 35 [36][37][38][39][40][41][42] próxima »






• Aníbal e os pobres

• Aníbal e as vocações

• Aníbal e os idosos

• Aníbal e os Jovens


 1 [2][3][4][5][6] próxima »