11.05.2015


Pe. José Alceu Santana Albino, prestes a completar 53 anos de vida (22 de junho), continua bastante animado para partir a Dundo, Angola, onde se juntará a mais dois religiosos Rogacionistas na abertura de uma Estação Missionária naquela diocese: Pe. Roy Moothedath, 31 anos, indiano, e Pe. Venuste Sibomana, 53 anos, ruandês. "Seremos uma Comunidade Religiosa bem diversificada, cada um de um continente, porém, com o mesmo ideal de vida: lançar as sementes do Rogate na África Austral", afirmou Pe. Alceu. Ele afirma que o chamado a esta missão iniciou bem antes do convite direto. "Em janeiro de 2013, durante o período de férias na casa de meus pais, tive a sensação de que este seria o meu último ano na Comunidade Rogacionista de San Lorenzo, no Paraguay. Organizei de tal modo a minha vida que tudo o que eu fazia o realizava como se fosse pela última vez. Já em San Lorenzo, depois de um dia de labor pastoral, enquanto descansava sob uma árvore de ingá, tomando tererê na cozinha da casa, uma menina, com aproximadamente 10 anos de idade, com traços fortes da cultura indígena se aproximou e perguntou-me: 'É verdade que este é o teu último ano aqui entre nós?' Respondi-lhe que sim! 'E para onde vais?', me contestou. Com um tom de voz forte e firme, disse-lhe: para a África! Imediatamente pensei no que havia falado e voltei atrás dizendo-lhe que foi uma brincadeira e que não sabia de nada, do meu futuro. Depois de 15 dias, abrindo o meu e-mail, encontrei a carta convite do Bispo da Diocese de Dundo, norte de Luanda, capital da Angola, solicitando a presença Rogacionista em sua Diocese. Em anexo, o Provincial perguntava sobre a disponibilidade para tal missão. Eu não tive dúvida alguma de que esta missão era para mim, de que Deus já havia me preparado. Esta criança era um anjo que me indicava a próxima missão, depois de seis anos em terras guaranis. Respondi-lhe: aqui estou, envia-me, como o profeta Isaías. Desde aquele instante fui tomado de uma grande alegria que perdura até os dias de hoje". No dia 21 de fevereiro de 2014 Pe. Alceu se despediu da missão no Paraguai, portando consigo "uma bagagem enorme de valores, como a partilha, a solidariedade, a família, viver sem pressa, com o necessário, ter fé, confiar", segundo palavras do religioso, eternamente grato ao povo paraguaio! No dia 8 de julho de 2014 chegou em Luanda e foi recepcionado por Dom Estanislau Marques Chindecasse, svd. Durante 10 dias visitou a Diocese, a Paróquia São Francisco Xavier, no município de Cuango. A Diocese tem uma extensão de 106 mil quilômetros, organizada pastoralmente em oito paróquias, administradas por nove sacerdotes (seis religiosos e três diocesanos). O idioma autóctone se chama Chokue. A guerra civil terminou em 2002, deixando rastros, como o êxodo rural, prostituição, alcoolismo, drogas, aids. A paróquia que será assistida pelos Rogacionistas tem uma população de 140 mil habitantes, organizada em 35 comunidades. A abertura da Estação Missionária Rogacionista está planejada para o mês de julho. Na foto, os dois religiosos que comporão a Comunidade com Pe. José Alceu, entre os padres Valmir de Costa (Conselheiro Provincial) e Juarez Destro (Provincial).








voltar






« anterior | próxima »







« anterior | próxima »







« anterior | próxima »